Essa carta vai para aquela pessoa que me ajudou em muitos momentos durante o meu intercâmbio. Ela esteve comigo ouvindo meus perrengues, minhas dificuldades e meus sonhos. Eli volta para o Brasil e deixa lembranças e saudades.

Tudo começou em 2018. Chegamos no meio do ano de 2018, ela uns dias antes em maio e eu em junho. A primeira vez que realmente conversamos foi no sofá da recepção da escola de inglês. Estudávamos na mesma sala, porém nunca paramos para conversar igual aquele dia.

Ali falamos de alguns dos muitos perregues que estavamos passando e ela acabou comentando que estava procurando casa para morar. Foi então que falei que no apartamento que morava, tinha uma vaga. Como eu e ela eramos estudantes da mesma agência, ela poderia morar na mesma casa sem pagar a taxa de depósito.

Foi então que ela conversou com um dos administradores na época e acabou conseguindo a vaga para morar na mesma casa que eu. A partir dali, ficamos cada vez mais próximas. Eli se parece comigo em muitos aspectos e por isso, ficamos tão amigas. Vou listar algumas das coisas que fizeram nossa amizade crescer em meio do caos da vida de um intercambista.

As loucas da limpeza

Assim como eu, Eli gosta de tudo limpo. Isso foi uma das coisas mais difícieis durante nossa estadia aqui em Dublin. Não é nada fácil dividir casa com outras pessoas que tem costumes diferentes, ainda mais compartilhando todos os ambientes. Só eu e ela sabemos o caos que foi viver dentro de uma casa com 7 mulheres e somente um banheiro. Acredito que foi um dos pesadelos que vivemos. Além de compartilhar o banheiro, a cozinha também era bem dificíl conciliar horários. Por muitas vezes fiz somente arroz com ovo por falta de tempo. Mas esse não era o problema e sim a falta de limpeza na cozinha, muitas vezes nós encontrávamos louças sujas, fogão sem limpar e o piso mais liso do que o próprio óleo, haha. Além disso, nós duas éramos a que mais cuidavamos da casa, mas principalmente das nossas coisas, para sempre estarem em ordem e limpas.

Virei vegetariana por 4 meses

A grana do intercambista é uma coisa a ser revista sempre. O meu caso foi diferente, porque tive que dividir os meus gastos com meu marido, então eu tinha que regrar muita coisa, seja saindo para passeios e na comida também. Foi aí que aprendi a cozinhar mais legumes e parei de comprar carne, já que com o preço dela eu conseguiria comprar muito mais verduras. Eli me ensinou muita coisa no tempo que moramos juntas, aprendi a me dedicar mais à minha saúde graças à um empurrãozinho para a boa alimentação. Mushurooms foi o que mais me surpreendi, após provar o que ela fez, eu não parei de comprar e consumir. Além dessa receita, também provei um hamburguer de aveia delicioso e lentilha cozida. Eli tem um dom para cozinhar bem e fazer receitas sem carne alguma, e isso é um dos aprendizados que carregarei para sempre comigo.

Pensamentos identicos em corpos diferentes

Eli é o tipo de pessoa que não tem papas na língua, assim como eu. Se ela não gosta de algo, ela fala doa a quem doer. Isso foi uma das caracteríscas que nos ajudou a conhecer um pouco uma da outra. Sempre fomos sinceras uma com a outra, se algo incomodasse não tinha esse negócio de meio termo, falavamos uma para a outra e no final tudo dava certo. Além disso, por sermos tão parecidas, ela me ajudou inúmeras, principalmente nas vezes que eu ficava desesperada de saudade do meu marido e da minha família. Quantas vezes ela me ouviu reclamando de algo que não estava gostando mas que ao conversar comigo, me fazia enxergar o lado bom de tudo aquilo que estava passando.

Pausa para o café

Cafeterias estão entre as nossas prioridades. Sempre que tínhamos tempo, paravamos para tomar aquele café e jogar conversa fora. A frequencia foi maior depois que mudamos de casa e passou cada uma a ficar longe da outra. Mas é tanta conversa, que já chegamos a receber aviso que a cafeteria iria fechar em breve, haha.

É muita história para contar, mas quero agradecer à Eli por sempre ter me apoiado, por ter me ajudado nos meus momentos difícieis e por ser uma amiga tão presente. Prometo que vou andar mais de bicicleta e mandar fotos das paisagens dos parques que adoravamos. Te espero aqui novamente, para fazermos aquela viagem para Portugal que prometemos uma para outra.

Infelizmente não pudemos nos despedir pessoalmente por todo esse caos que está no mundo, mas encaro como um até logo e nos veremos em breve. Obrigada Eli, por tudo! ❤

Posted by:Carol Pinheiro

27 anos, designer de interiores, ama animais, bichinhos de pelúcia e videogame. Espia o blog, porque tem muita diversidade e assuntos interessantes para compartilhar com vocês.